Largo do Pelourinho

O Largo do Pelourinho, oficialmente Praça José de Alencar, é um logradouro situado no coração da parte mais antiga da cidade de Salvador. Bem ao pé das velhas Portas do Carmo, perto do Terreiro de Jesus e de um dos mais famosos conjuntos de igrejas barrocas das Américas, formado pelas igrejas da Ordem Terceira de São Francisco, São Francisco, Rosário dos Pretos, Passo e a imponente Catedral Basílica, antes Igreja do Colégio dos Padres, onde estudou o poeta Gregório de Matos e onde pregava o padre Antônio Vieira.

O Largo do Pelourinho é assim chamado em razão de ter sido, durante muitos anos, um local de suplício, onde os condenados eram expostos, amarrados ao pelourinho, aos olhos dos passantes e à execração pública. 

A história do bairro soteropolitano está, intimamente, ligada à história da própria cidade, fundada em 1549, por Tomé de Sousa, primeiro governador-geral do Brasil, que escolheu o lugar por sua localização estratégica — no alto, próximo ao porto e com uma barreira natural constituída por uma elevação abrupta do terreno, verdadeira muralha de até noventa metros de altura por quinze quilômetros de extensão, facilitando a defesa da cidade. 

Era um bairro eminentemente residencial, onde se concentravam as melhores moradias até o início do século XX e centro comercial e administrativo. A partir dos anos 1950, o Pelourinho sofreu um forte processo de degradação, com a modernização da cidade e a transferência de atividades econômicas para outras regiões da capital baiana, o que transformou aquela região do Centro Histórico em uma zona pouco valorizada, tornando-se moradia popular e palco da cultura negra da cidade.

A partir dos anos 1980 (com o reconhecimento do casario como Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e dos anos 1990 (com a revitalização da região e a remoção da maioria dos moradores) é que o Pelourinho transformou-se no que é hoje: um centro de cultura popular.

Este local, palco de tantas tragédias, cenário de tantas dores, mas também de intensa beleza, reproduzido em fotos pelo mundo inteiro, é cartão-postal obrigatório de quantos visitem a cidade do Salvador.

Em 1996, foi cenário do videoclipe They Don't Care About Us, do cantor estadunidense Michael Jackson.